Thursday, April 16, 2009

Diário de Vincent Craine
(pag.26)

[...] Decorreram algumas semanas desde a última entrada neste diário. Vou tentar relatar de memória tudo aquilo por que passamos até à data.
Após sairmos das cavernas de Durgedin fomos atacados por um trio bastante interessante que procurava o livro que o clérigo carrega. O lider era Cristafar Senders, mayor de Oakurst, e estava acompanhado por dois individuos peculiares: um monge bastante ágil no combate e também o Yochlol que já haviamos encontrado na dimensão de cristal. O combate foi feroz e a sorte não nos sorriu. Felizmente fomos ajudados por uma cboazona feiticeira de nome Storm Silverhand que virou o combate a nosso favor. Caso ela não tivesse surgido estavamos em maus lençois. Penso que nenhum de nós, até hoje, percebeu como ela ali apareceu na altura certa.
Decidimos então encaminharmo-nos para Candlekeep, dado sabermos que poderiamos obter mais informações acerca do livro na cidade do conhecimento.
A viagem foi calma e sem eventos relevantes. (fui assaltado numa estalagem durante o caminho... mas ladrão que rouba a ladrão...)
A Storm acompanhou-nos em praticamente todo o percurso e ficámos a saber bastante mais sobre a organização a que ela pertence: os Harpers.
(pag.27)
Escrevo esta página já em Candlekeep, estamos aqui há bastantes dias. É uma cidade estranha, fortificada e onde um livro vale mais que uma vida. Penso que o mágico e o clérigo se têm entretido bastante na biblioteca gigantesca. Não me tenho divertido particularmente mas consegui algumas informações acerca da minha espada. Também comprei uma armadura nova, bastante mais leve e de cor escura. Penso que me favorece!
Relativamente ao livro que aqui nos trouxe, está em estudo na biblioteca. Pelo que me dizem irá demorar algum tempo até termos mais informações acerca do conteúdo.
Uma nota interessante: Candlekeep está repleta de mágicos vemelhos vindos de Thay. Estão aqui expedição. Segundo me contou um deles, possuem um exercito de mortos-vivos, ao que chamam "linha da frente". Não faço ideia como os controlam ou os tornam eficientes em combate. Quando vi o nosso clérigo controlar mortos-vivos não fiquei particularmente impressionado.
Espero que amanhã, finalmente, possamos sair daqui. A elfa tem uma missão que será bem paga.

PS: O Cristofar Senders apareceu aqui numa situação inesperada, durante um jantar para o qual fomos convidados. Disse não nos conhecer e ignorar o combate que travámos há semanas. Foi um jantar dificil... não me contive e insultei-o, acabando por ser expulso tal como o Kamiel já havia sido. É de facto um local estranho este.

2 comments:

Pimmlur said...

Durgedin?????????

Durgedin?????????

Humano inútil!!!!!!

DURGEDDIN!!!!!!!!!!! CARAMELO!!! e ainda queres energizar a tua arma.... pffft.....

Kyoble said...

Se tivessem maneira a mesa o homem nao saia do jantar a rir-se, o que nos resta agora é levelar, apanhar uns epicos e partir a boca a esse gajo o quanto antes.